01/05/14

Alguns trechos do livro Prometo Falhar de Pedro C. Freitas

" Silêncio, que se vai amar.
Todos  os amores começam assim. No silêncio de um olhar, no silêncio de uma mão dependente da outra (...). É fundamental o silêncio entre duas pessoas que se querem falar. É fundamental o silêncio para que o amor se entenda. E «Amo-te» é uma palavra que só se diz assim:
Shiu."
 
"Não sei o que sou mas sei que sou tua.
Não acredito em amores que façam mal apesar de ter a certeza de que todos os amores fazem mal. Amar é ter a certeza que é melhor dois pássaros a voar que só dois na mão. Nenhum provérbio sabe o que é o amor. (...). Só quem consegue ficar em cacos consegue ser-se por inteiro. Só os coitados vão até ao meio da ponte. Não admito encontrar-me no que nada é. Se quero chegar vou até ao outro lado, sem orgulho e orgulhosa, a tremer mas sem medo, e quando me disserem que fui fraca responderei com o desprezo de quem só admite o êxtase quando o êxtase é possível. A força consiste em recusar o satisfaz bastante quando se pode ter o satisfaz plenamente.(...). Antes um Titanic afundado que um barco que não vai a lado nenhum."
 
" A única doença é não haver paixão".
 
"Eu exijo começar. A toda a hora começar. A primeira vez. Todos os dias começar qualquer coisa. Se um dia for trapezista é apenas para aprender a cair melhor. Para aprender a sofrer melhor, para aprender a escorregar melhor, para aprender a falhar melhor. Se um dia for trapezista é também para te amar melhor. Porque amar-te ou é estar em cima de um trapézio ou não é nada."

2 comentários:

Anónimo disse...

Ótimo artigo!! Ajudou me imenso obg

Aderlaine de Oliveira Dias disse...

quero muito esse livro!