28/09/10

Há que dizer sempre o que se sente?

Admiro a audácia de pessoas que vão até ao limite da honestidade do que sentem para afirmar o amor que tem por uma pessoa.
Será uma atitude de um tolo? Penso que será uma atitude de salvação.
Vejamos, a pessoa não dorme, não pensa em mais nada, a pessoa sofre por desejar tanto ter alguém, que chega um dia e estando já está no seu limite terá de falar e de agir também, tenta a sorte para seu bem.
Mesmo que não tenha como resposta o que tanto deseja, é bem melhor do que passar o resto da vida a pensar, e como teria sido? Assim, agiu, sentiu e seguiu em frente e jamais ficará arrependida do que fez.
Se bem que para mim...esta forma de agir é muito audaciosa para o meu feitio...sou mais cautelosa.
Até à próxima

3 comentários:

MARIINHA disse...

Olá Fatucha,
Às vezes pode dar certo essa investida, mas arriscam-se a que aconteça o contrário, ou seja, o afastamento da outra parte.
Há pessoas que em desespero de causa, atiram-se, mas nem sempre são bem aceites.
Bjs

Susaninha disse...

Eu sou fã da honestidade , mesmo que magoe...
PREFIRO....PREFIRO....

palavrasasolta disse...

Queria dizer-te que sim, que a honestidade é sempre preferivel, mas... depende de tudo. Do que realmente sentes, do que achas que a outra pessoa de facto sente, dos pós e contras, se o dia de correu bem e avanças com confiança, para que esse sentimento transpareça na tua atitude, se o dia te correu menos bem e queres logo despachar o assunto...
Às vezes não é bom sermos tão sinceros. Às vezes é bom mantermos um certo suspense, um certo mistério.
E depois é assim: acredito que se uma pessoa está de facto "paranóica" com outra, acho que não conta. Não acho que seja um sentimento bom que mereça ser explorado.
Agora o amor, a paixão, aquele palpitar quando pensamos na pessoa querida, sim é bom e recomenda-se, mas apenas