22/04/11

Do livro de Loiuse Hay - Viver! - Devemos largar o Passado e Perdoar toda a gente

Somos nós que sofremos quando nos agarramos de mágoas antigas. Permitimos que as situações e as pessoas do nosso passado tenham poder sobre nós e estas mantêm-nos mentalmente escravizados. Continuam a controlar-nos quando somos « implacáveis». É isso que torna tão importante o gesto de perdoar. Perdão - esquecer aqueles que nos magoam - é esquecer a nossa identidade como aqueles que foram magoados. Permite libertar-nos do ciclo inútil da dor, da raiva e da recreminação que nos mantem aprisionados no nosso próprio sofrimento. O que perdoamos não a acção, mas quem a pratica - estamos a perdoar o seu sofrimento, a sua confusão, a sua falta de destreza, o seu desespero e a sua humanidade. À medida que extreorizamos e libertamos os nossos sentimentos, seguimos em frente.

Louise L. Hay - Viver! -

6 comentários:

M. disse...

Mas às vezes é tão difícil perdoar... :)
Pior ainda é quando não nos perdoamos a nós próprios por determinada opção que fizemos no nosso percurso de vida.
Isso sim é complicado.
Concordo que perdoar, seja a nós ou aos outros, facilita muito se quisermos viver com tranquilidade e bem connosco e com os outros.

Beijinhos.

Moon lady disse...

existem pessoas que não consigo perdoar porque essas mesmas pessoas estão sempre a fazer a mesma coisa. de todas as vezes que me aproximo só tenho mais decepções as vezes é preferivel ficar distante do que perdoar. as vezes a tranquilidade só vem mesmo de nós, e daquilo que NÃO esperamos dos outros.

bjs cat

palavrasasolta disse...

Tenho de concordar com a Moon Lady. Por norma até digo que sou do género que perdoa mas não esquece - ai os caranguejos! - mas a verdade é que ultimamente estou numa fase de ou vai ou racha.
Se não me respeitam, e automaticamente a quem está comigo, tenham santa paciência mas eu já não corro atrás dessas pessoas. O pessoa que eu era, que tentava sempre agradar a todos mesmo que me anulasse, já era.
Não sou ninguém para perdoar. Acredito que eu tenho de me perdoar a mim mesma, e cada um que se amanhe, que se perdoe se achar que tem de o fazer. Aceito as decisões das outras pessoas, concorde ou não com elas. E é assim que, a pouco e pouco, a mágoa que me acompanhou durante tanto tempo vai desaparecendo e eu posso então seguir a minha vida.

Paulo Vicente disse...

Perdoar é o "lubrificante" que nos permite viver com os outros, todas as pessoas acabam por fazer algo que nos irrita, pode ser pequeno ou pode ser grande e lá temos nós de perdoar se quisermos continuar com ela.

Algumas pessoas podem dizer que há coisas que não podemos perdoar, mas isso é um disparate, tu podes perdoar tudo, a questão não é se podes mas se achas que vale a pena ou não.

Nem sequer é obrigatório que se desfaça ou resolva o problema, mas convém também que a outra pessoa peça desculpa, que reconheça que aquilo não foi o melhor e podemos encontrar maneira de viver com isso.

Dizer que não perdoamos soa muito bonito e orgulhoso mas também é uma boa receita para acabarmos sozinhos.

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Uma Pàscoa Feliz com muitos ovos de chocolate, amêndoas docinhas e coelhinhos fofos :)

CG disse...

Também sou fã da Louise L. Hay. Os livros dela ajudam-me imenso.
Big Kisses