30/04/10

Verdes Anos

Lembrei-me hoje dos meus verdes anos, mas, quero que as acções do meu presente, sejam as lembranças do meu futuro. Foi só uma divagação um alerta para a realidade.
E, é ao som de Carlos Paredes, que mergulho nos meus pensamentos. Meditando que existe o verbo desencantar, e o verbo (des)amar? Soa, estranho, não é? Quando passa o encanto, logo nasce a ilusão, o engano está provado.
Brindo ao fim de um ciclo...e eu lá vou devagar, hesitante, e ao mesmo tempo confiante e livre de muita coisa.

2 comentários:

Susaninha disse...

GOSTEI , GOSTEI , GOSTEI...

Rosa Carioca disse...

Profundo!
Gostei.