23/01/10

okay...vou contar até 10...

Há que desmistificar factos, de ideias concebidas, nem sei eu de onde, há que esclarecer de uma vez por todas, que eu não dei ouvidos ao meu médico quando este me avisou, para não contar a ninguém que tinha uma "doença" conhecida por Chron, isto já desde Janeiro de 2006 que a dita me foi diagnosticada, e logo entendi porquê, criam mitos em torno do que eu tenho e do que eu sinto e vêem-me como frágil, coitada, que grave!
Não o farão por mal, mas hoje estou a ter coragem para esclarecer, que não fumo, não bebo alcool, não como bróculos e coves todos os dias, estou a ser medicada, e evito enervar-me, logo estou estável, isto é como se nem tivesse nada . E levo uma vida absolutamente normal...
Agradeço sim, preocupação sincera mas nada de penas das quais só devem pertencer ás aves.

Até á próxima

13 comentários:

Elisabete disse...

Sabes que essa atitude vai também da falta de informação que têm sobre a doença e então acaba por ser normal!
É como dizes, no fundo não o fazes por mal!
Tens que ter um pouco de paciência e para além disso, ires mostrando que isso te incomoda!
Bjs

Ana disse...

Olá!
Como eu te compreendo, por ter perdido a minha mãe muito cedo e ter crescido numa instituição. Quando as pessoas sabem ficam logo com aquela expressão de "ai coitadinha", quando não o dizem! Por isso evito que se saiba!
Hoje em dia há muitas "doenças" que nos acompanham para a vida toda e não são nenhum "bicho de sete cabeças" eu, por exemplo tenho diabetes tipo 2. Sei que tenho que ter uma vida mais ou menos regrada, sei que isto pode evoluir para diabetes tipo 1, sei que isto me vai acompanhar toda a minha vida, mas não vivo a pensar nisso, quanto menos se pensa melhor!
Beijinhos e bom fim de semana.

Maria disse...

Acreditem, esta miúda come todos os chocolates que eu levo para perto dela!

Beijo!

Susaninha disse...

SABES UMA COISA????
ÉS UMA GRANDE MULHER:):)

Rosa Carioca disse...

A falta de vontade de saber é trocada pelo ar de falsa superioridade, impregnada pela palavra "coitadinha". Se tivessem disponibilidade para aprender até o que significa a palavra "coitada", talvez a passassem a usar menos vezes. Siga sempre em frente e seja FELIZ.

M. disse...

Olá, Fatucha.
Não ligues a esse tipo de comentários. A mim (que também tenho uma doença crónica, Diabetes Mellitus), desde os 17 anos, idade em que me foi diagnosticada a doença, volta e meia tenho de lidar com comentários do género. E é uma doença infelizmente muito mais comum...
O importante é tu cuidares de ti e seres feliz, teres uma vida normal.
:)
Beijinhos.

Gonçalo disse...

Uma prova de grande coragem. Admiro-te cada vez mais. E o resto é conversa!

:)

Um beijinho com carinho *;)

M. disse...

Tens um presente no meu blog. :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Ó Fatucha, conheço uma amiga com a doença de Chron de quem sei ter a doença porque o disse. SE nao soubesse nao diria. Penso que em 6 anos teve uma recaida com uma semana e nao vejo onde é que a doença de Chron seja estigma, muito sinceramente.

O Médico terá feito mal em te avisar para nao dizeres a ninguém, sem dúvida. Afinal nao te foi diganosticado um tumor em que tens pouco tempo de vida e que nao queres que saibam. E mesmo assim penso que deviamos partilhar.

Nao me leves a mal, mas revelasres que padeces da doença de Chron foi como ler o testemunho da Ana a dizer que sofre de diabetes tipo II. SO what?

Sabes uma coisa? És muito bonita porque muito sincera contiga mesma e com os outros e o teu crescimento nao pára, o teu crescimento e desenvolvimento interior, numa terapia blogosferica que acompanha ha muito e nunca me desiludiu naquilo que realmente és.

bem hajas. Continua :) Beijinhos amigos

Olhos Dourados disse...

Eu nem conhecia essa doença.

Miguel Ribeiro disse...

Antes demais tens toda a razão em sentir-te assim, também odeio que sintam pena ou me paternalizem, somos quem somos e sabemos como somos.

Obrigado pela visita e comentário, tenho pena que gostes do que lá tenho =P.

Beijinho.

Natália Augusto disse...

Fatucha,
a melhor atitude é, de facto, ignorarmos as doenças que temos para que outros não sintam pena, nem nos estigmatizem. Estás a agir da melhor forma. Vives a tua vida com toda a normalidade e segues em frente um dia de cada vez.
Já passei pelo papel de coitadinha, de terem pena porque houve uma altura em que andei muito desestabilizada. Sou depressiva bipolar e só em Março do ano passado é que uma médica conseguiu acertar na medicação.
Diziam apenas que era depressiva. Não! Tenho as duas faces: a depressiva e a da mania.
Desculpa o desabafo. Na verdade, ao ler o teu texto identifiquei-me contigo. Desde Setembro do ano passado que a minha atitude é outra.

Beijinhos.

Fica bem.

Paulo Vicente disse...

Coragem, se te chamam coitadinha, deixa-os chamar, se te sentes bem, se ainda tens uma vida feliz pela frente até à fase dos cabelos brancos e dos netos, então está tudo bem.

O que importa o que outras pessoas dizem? Pensa antes que vivendo uma vida saudável és bem capaz de ter mais e melhores anos pela frente do que elas.

As palavras podem irritar, incomodar, chatear, mas não te podem impedir de festejar os teus 90 anos...