14/12/09

Em busca

Estou em busca de equilíbrio, e ando a perceber o seguinte:
Se busco amor, encontro. Se busco discórdia ela vem ter comigo. Se busco tristeza ela virá... e assim sucessivamente...
Portanto, há que me valorizar, não me deixar cair no desanimo. O desanimo, esse insiste de vez em quando bater-me á porta, e vai tendo a audácia de sem pedir licença para se instalar confortavelmente dentro de mim, qual vizinho inconveniente que entra e domina o espaço alheio, e sim, alheia é o que eu quero ser quando o desanimo tenta invadir-me.
Não estou a mentir a mim mesma, estou sim a ser honesta e usar a minha sensatez.

Quero ter presente em mim sentido de humor, quero que me façam sentir contente, mas terei de estar bem humorada para que o sintam. Não quero desprender-me de carinho que tenho e sinto por tudo e todos.

São as minhas pequenas lutas interiores, ao que parece em escrito fazem mais sentido do que debatê-las em palavras de diálogo...

(um aparte, andando eu pelo youtube, encontrei esta preciosidade - Caetano Veloso - Perfil )




Até á próxima

6 comentários:

Ana M. disse...

serão estados de espirito?

beijinho

izzie disse...

vês amiga?
foi por também ter chegado a este tipo de conclusão que o meu fim-de-semana foi tão produtivo...
pelos vistos, estamos as duas a caminhar... e isso é muito bom!

Um beijo,

Rafeiro Perfumado disse...

Ó jove, tu procura-me desde já o Euromilhões!!!

Beijocas!

Ana disse...

Olá!
Um beijinho muito grande e um abraço daqueles bem apertados!

Eli disse...

Não vejas como "lutas", mas como LUZES interiores. A tua entrega tem resultados, por isso continua procurando no que te faz sentir melhor.

Ainda que às vezes sejamos influenciados por factores exteriores, o que está dentro de nós é o que realmente constitui o nosso valor.

Parebéns pelas vitórias e pela construção do teu "eu"!

:)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"há que me valorizar, não me deixar cair no desanimo. O desanimo, esse insiste de vez em quando bater-me á porta, e vai tendo a audácia de sem pedir licença para se instalar confortavelmente dentro de mim, qual vizinho inconveniente que entra e domina o espaço alheio, e sim, alheia é o que eu quero ser quando o desanimo tenta invadir-me."

Como entendo e também acontece comigo amiúde. Mas tu mesma dás a resposta, e isso é meio caminho andado, mesmo que nao o percorramos logo todo. mas é meio caminho saber a solução, querida amiga.