05/11/10

A fé ou a não fé de cada um

Sou crente. Crente na fé que me dá orientação para mostrar o caminho a seguir.
Creio nos milagres de Fátima. Rezo quando me sinto aflita, e noto alivio passado uns instantes, mas também rezo a agradecer as coisas boas que a minha vida tem. Confio muito no meu anjo da guarda, em Jesus, e o meus santos favoritos são São Francisco de Assis e Santo António, não vou mudar a minha fé por vontade de ninguém.
Fé para mim é alegria, amor, e não repressão e medo de um Deus que funciona como policia, á espreita se nos portamos mal para nos castigar. ( Até porque essa também não é a imagem correcta de um policia, eles são precisos para nos ajudarem!)
Há pessoas também que se dizem crentes e no entanto revelam-se uma corja de imbecis, gente mesquinha e beata conservadora que não gosta do progresso, que vive enfiada nas igrejas a bater com a mão no peito a pedir perdão ao Senhor e que depois ainda se revelam falsos e preconceituosos, infelizmente é desse tipo de gente que vai manchando a imagem que a Igreja tem hoje em dia, mas há exepções!
Lógicamente que eu sendo crente, não sou cega ao ponto de ignorar montes de coisas que estão mal, muito mal, no mundo da Igreja.
Igreja essa, defensora de valores humanos imprescendiveis.
Quando eu me relaciono com alguém ateu ou um agnóstico, noto neles pessoas com caracteristicas completamente cristãs, são humanos, generosos, amigos, tem valores etc...é no minimo irónico.
Fico por aqui, foi só uma breve constatação que quis deixar.

5 comentários:

Elisabete disse...

Para mim a crença é acreditarmos em algo que é superior a nós, seja qual for o nome que lhe damos!
Ter fé na Igreja ou ser católico, para mim, é praticar o Bem.
Não gosto quando as pessoas somente aceitem um católico se este for praticante!
Para ir à igreja (igreja edíficio, não Igreja comunidade) e assistir a muitas das coisas que já assisti, prefiro ficar em casa!
Muitas das vezes parece-me que as pessoas não fazem a menor ideia do que é ser católico. Parece que pensam que podem fazer os disparates que quiserem, pois como vão à missa todas as semanas, já é "bondade" suficiente...Enfim!
Há muito que dizer sobre este tema!
Beijinhos

Paulo Vicente disse...

Ok, parece que és crente muito à tua maneira, alguém com bom senso suficiente para não engolir qualquer coisa porque é tradição ou dogma católico, provavelmente o melhor tipo de religiosidade que podemos encontrar.

Às vezes vemos realmente um fosso entre os "valores cristãos" em teoria e os "valores cristãos" na prática. Algumas pessoas seguem uma lógica um bocado nociva, pensam que quem vai à igreja e se apresenta como cristão automaticamente é uma boa pessoa sem precisar de o ser na prática. E esta lógica normalmente tem depois outra face também pouco agradável, a ideia de que quem não se apresenta como cristão automaticamente não é boa pessoa.

Resumindo, é um pouco como a ideologia do "Cargo Cult", tentam atrair algo benéfico usando os símbolos que às vezes vêm associados a ele.

E eu, onde me encaixo? Oscilo entre ateu e agnóstico, duvido muito que haja um deus omnipotente e benévolo a controlar as coisas por detrás das cenas, e se existir acho que não fala através dos papas e outros sacerdotes.

Às vezes gostava muito de ter um anjo da guarda a ajudar, mas tenho de me arranjar com o meu "eu" falível (bastante) e um pouco de sorte.

Um "eu" que se esqueceu das horas a escrever! Boa noite e beijinhos.

Ana disse...

Olá!
tenho fé, não tenho religião mas acredito muito em algo superior e em algo que tem muito a ver com a natureza. A vida sem fé não faz sentido, é muito mais dificil de ser vivida.
Beijinhos

MARIINHA disse...

Tive uma educação católica. Sou católica, mas não praticante. Ou seja, não vou todos os domingos à missa. Não sei, não me apetece. Por comodidade? Não! Porque não sinto o apelo. No entanto sou uma devota de Maria, também eu vou a Fátima, e considero Jesus o melhor de tudo. Mas tenho as minhas dúvidas. E a Igreja também não ajuda nada a que nos aproximemos. Não concordo com muitas coisas que se defende no Vaticano. Acho retrógadas.
Muito se poderia falar sobre isto.
Bjs e bom fds

JP disse...

Olá!
Gostei muito do teu ponto de vista no final do texto.

Beijos!