22/08/10

Não a sinto como a minha cidade

Nasci em Lisboa, e cá vivo já á 32 anos. Acontece que por vezes quando me ponho a observar aspectos menos bons, em vez de me encher de orgulho, não, encho-me de vergonha. Mas também tenho os opostos, quando gosto de algo em Lisboa, valorizo exaustivamente esse ponto, eis alguns exemplos:
Belém, Parque das Nações, Castelo de S. Jorge, algumas ruas de Santos, Santa Engrácia, S. Bento, Principe Real, Chiado, Miradouro S. Pedro de Alcântara, Graça, Avenidas Novas e junto do rio, para o poder ver, são sem dúvida os meus pontos de eleição! Nada de Baixa, nada de Rossio, nada de Pça da Figueira, nada de Avenida da Liberdade, nada de Bairro Alto, nada de Martim Moniz, nada de Avenida Almirante Reis ... *detesto* essas últimas que mencionei.
Desgosta-me ver os grafitis, desgosta-me ver as ruas sujas, desgosta-me ver as casas a cairem de podre, com ervas enormes nos telhados á espera urgentemente de restauro, desgosta-me o submundo que há aí nesses lados, desgosta-me isso tudo!
Outra parte do meu "desencache" reside em nunca me ter acostumado á azáfama da correria, dos transportes cheios, de ver gente por todo o lado...de as pessoas não terem tempo para si!
E, agora, que cidade daria para mim? A resposta é Viseu. Só que há um pequeno pormenor, se por um lado me queixo da forma de como a sociedade se movimenta em Lisboa, não me identificando com este ritmo frenético, por outro lado, o que me mantem aqui com alguma alegria, é mesmo o local onde trabalho. E assim, vou minimizando o que me incomoda...mas que se torna ás vezes saturante, sim, torna.
Até á próxima

6 comentários:

Ana disse...

Olá Fatinha!!
O teu caso é como o meu de Coimbra, gosto muito de Coimbra, gosto de lá ir, gosto de respirar a azáfama da cidade (que não se compara nada à de Lisboa!) mas o certo é que prefiro Abrantes (um pouco como Viseu, adoro Viseu!).
Por vezes ponho-me a pensar na loucura que me fez deixar umq grande cidade e vir para aqui (arranjar trabalho não é fácil!) mas basta-me ir dar uma volta aqui no campo, perceber que posso fazer as coisas com calma, este ritmo muito mais lento e logo passam as saudades da cidade!!
Beijinhos

Ana disse...

Ah, esqueci-me! Também aqui tenho o beneficio de ter casa própria, em Coimbra pagava imenso de renda!!
Beijinhos

M. disse...

Também nasci em Lisboa. Para mim, Lisboa não é apenas a cidade onde nasci, onde vivi alguns anos, onde estudei na Faculdade, onde (quase) sempre trabalhei. É local de passeio, ponto de encontro, sítio de descobertas, cidade com luz magnífica... não me imagino a viver longe deste triângulo que é Almada (onde vivo), Tejo e Lisboa.
Tem os seus aspectos negativos, como acredito que qualquer cidade tenha. Mas sou "alfacinha" de coração e alma.

Se calhar se vivesses uns tempos longe de Lisboa irias sentir saudades dos aspectos bons. Porque dos maus ninguém se lembra quando está longe.

Por isso é que os emigrantes, que saíram do país em busca de uma vida melhor, têm constantes saudades de Portugal e querem voltar, esquecem o que de mau deixaram para trás e valorizam o que é bom.

Sou de opinião que nenhum sítio é melhor do que aquele no qual nos sentimos em casa.

Beijinhos! :)

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Aqui está um tema interessante. O desordenamento da cidade, seja qual for, mas a nossa é caótica, e o gostar pouco do frenesi das terras de betão. Nao foi por acaso que nao publiquei aqui (e nem o fiz no facebook) o filminho de NOva York, apenas dando a minha preferência à Staten Island (três posts atras onde falho da estatua da Liberdade) por oposição aos 22 km de Manhattan, a Big Apple que nunca dorme.

Penso, no entanto, que com o fim das obras no Rossio, quer o o Rossio, Restauradores e Av. Liberdade estão muito apelativas para os estrangeitros e mesmo para nos, uma especie de Times Square portuguese, com a Av. Liberdade como sendo os Champs Elysses cá do sítio, mas não só concordo inteiramente contigo quando falas da Almirante Reis e martim Moniz em particular, e o proprio Bairro Alto que é simplesmente caótico, e o próprio Chiado, como eleges belíssimos locais que também me são apelativos e que ainda vao fazendo de Lisboa uma cidade... ímpar????

Um beijinho

Myosotis disse...

Eu não vivo em Lisboa mas gosto da cidade. Talvez por isso mesmo: porque não vivo lá!
Contudo nem sempre foi assim. Aprendi a gostar há relativamente pouco tempo.

**Beijinhos**

MARIINHA disse...

Pois eu, não sou filha natural de Lisboa, mas considero-me uma filha adoptiva. Já estou a viver por cá há mais anos do que os que vivi na terra onde nasci. Adoro Lisboa!
Mas este meu amor não é cego, porque há coisas que também não gosto e que gostava ver mudadas. Por exemplo, também não gosto da zona do Martim Moniz e toda a Av. Almirante Reis. E o Jardim Constantino, já viram a vergonha que é? E a quantidade de casas a cair? Nenhuma outra cidade da Europa terá tantas casas abandonadas e em ruínas. Isso acho que é vergonhoso tendo em conta que estamos a falar da capital do país. Mas claro tem coisas lindas, a zona à beira Tejo, por exemplo.

Bjs