06/05/10

O rumo

Ontem vi-me como se estivesse a velejar um barco, a segurar o leme, de modo a que mantenha o barco seguro da tempestade.
Foi uma metáfora que escolhi para ilustrar a minha vida no presente.
E concluí que depois destes momentos, quando a tempestade passa, vejo-me a navegar em mares calmos...
E só por curiosidade, hoje fiz um daqueles quizzes do facebook, " Que tipo de preciosidade és tu?" e vejam o resultado:

MAR... Deus(a) da preciosidade, espelho de serenidade... Encaras a vida de um modo como qualquer um devia encarar... simples, clara e objectiva... Ajudas o amigo, o amigo do teu amigo e pensas não muito mais do que 2 vezes para ajudar um conhecido... detentor(a) de uma ...força interior que te permite lutar pelos teus objectivos de uma forma como se o amanhã nao existisse... tal como Mar...

Até á próxima

2 comentários:

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Olá :)

Pelo que conheço de ti e pareces verdadeiramente ser, o quizz está certo :) Seja como for, a tua comparação no texto é já uma forma de dizeres de ti mesma que não importa se hoje chove porque amanhã fará sol. E capacidade que tens de te reinventares é, efectivamente, de louvar. É sempre na simplicidade que reside a diferença, porque é na simplicidade que os misterios do universo se revelam, e nao quando nos autoproclamamos uma coisa e somos outra sem o saber.

beijinhos, grande amiga

Olhos Dourados disse...

=)