04/03/10

Curiosidades

Vou partilhar duas situações que me ocorreram no mesmo dia.
Sábado passado, estando eu atrasada para chegar ao trabalho, decidi atravessar a estrada pelo local mais incorrecto, isto é sem ser na passadeira ou nos semáforos, fiquei parada no meio de uma "ilha", isto é aquele largo com um traço continuo em toda a volta, (espero que saibam pela descrição) e estando eu á espera que os carros passasem para atravessar a outra metade da estrada, vem um táxi, com toda a velocidade, que me viu ali parada, decidiu passar para dentro do perímetro da dita "ilha" só para me mandar com água para cima( estúpido!) o que vale é que nem fiquei molhada, pois desviei-me.
A segunda situação, acabei por ter de apanhar um táxi nesse mesmo dia, e durante o percurso, eu a questionar-me sobre caminho que o taxista andava a fazer, lá por ruas e ruelas...mas algo dizia-me para ir á confiança, pois estava a perceber que afinal eram atalhos e o sr até percebia daquilo...
Há uma altura que ele demonstra o seu desagrado pelos condutores e desabafa para mim, eu que estava já escaldada com a falta de modos do outro taxista da manhã...estava meio relutante para ser solidária com este taxista no que respeita a mau uso do código da estrada.
Mas, quando me despedi e agradeci, o sr taxista disse-me " Olhe menina, não pense que os taxistas são todos iguais, acredite que não são" e fiquei a pensar nisto, pois eu nem lhe tinha contado o que me aconteceu, e ele aqui estava efectivamente a defender-se de alguma má imagem a que normalmente os conectamos...pois defendeu que tem paixão por ser taxista e necessita de grande dose de paciência, para clientes, outros condutores e peões...
Curioso.

Até á próxima

7 comentários:

Miguel disse...

Essa facilidade que por vezes temos de catalogar todo um grupo por um só elemento. E eu daqui faço mea culpa, porque lido diariamente com os humores bons e maus do público e que ao mínimo inconveniente são descarregados também sobre mim, levando-me a pensar que trabalhar com o público é das piores coisas que se podem fazer. Não é. Como em tudo, há que separar o trigo do joio e tentar perceber que mesmo a melhor das pessoas é capaz de ter um dia mais difícil.

Sam Seaborn disse...

É uma classe algo mal vista… muito por culpa própria, em todo o caso tenho tido boas experiencias e gosto de acreditar que existe uma nova mentalidade no ar…

Belo texto de um dia algo complicado…

Fatucha disse...

Miguel, sim, é mesmo, o ter sensibilidade para se trabalhar com o público é necessário para separar o trigo do joio, concordo.

Sam, é, eles são mal vistos muitas vezes porque fazem por isso!
Obrigada:)

Elisabete disse...

É verdade que muitos abusam, assim como camionistas, por exemplo. Mas ele teve razão no que disse, não podemos julgar todos por apenas alguns!
Há de tudo!

Maria Inês (há quem chame Maria, há quem chame Inês) disse...

esta história é-me familiar...

Daniel Silva (Lobinho) disse...

És uma heroína por essas aventuras (por vezes faço o mesmo) mas ha que ter muito cuiidado. Sobre o sucedido do splash do condutor ranhoso, nao podia concordar mais com o Miguel, incluindo no meu mea culpa :)

bjinhos, amiga

Rosa Carioca disse...

Felizmente, nem todos os taxistas são oportunistas e nem todos os camionistas são "abusadores"!